All for Joomla All for Webmasters

Ariano Suassuna em Taperoá

Ariano Suassuna encontra equipe e elenco de A Pedra do Reino

“Esse é um dia mágico em que sonho e vida se encontram”. Foi assim que o diretor Luiz Fernando Carvalho abriu o encontro do elenco e da equipe de criação da microssérie A Pedra do Reino com o escritor paraibano Ariano Suassuna, no galpão de ensaio em Taperoá, sertão do Cariri (PB). “Esse é um dia mágico em que sonho e vida se encontram”. Foi assim que o diretor Luiz Fernando Carvalho abriu o encontro do elenco e da equipe de criação da microssérie A Pedra do Reino com o escritor paraibano Ariano Suassuna, no galpão de ensaio em Taperoá, sertão do Cariri (PB). Em um bate-papo descontraído, com vários momentos de gargalhadas do público, Ariano falou sobre seu romance e o sertão e fez algumas reflexões sobre arte e estética, além de contar alguns “causos” de sua vida. O autor do romance de 1971, que pela primeira vez será filmado para televisão, também se emocionou ao ser apresentado aos atores que darão vida a seus personagens.

“Em primeiro lugar, gostaria de falar que, se me dissessem que tudo que eu escrevi seria destruído e eu só pudesse salvar uma obra, eu escolheria ‘A Pedra do Reino’. Precisei fazer esse livro, pois o universo de peça de teatro não estava mais cabendo para certas coisas que eu tinha que dizer. Passei por fases muitos diferentes, algumas desgostosas em relação ao romance. Mas agora, quando vejo a recriação que Luiz Fernando Carvalho está fazendo com vocês, parece até que isso presta”, brincou Ariano provocando risos no público.

A Pedra do Reino, microssérie da TV Globo com produção independente da Academia de Filmes, será a estréia do projeto Quadrante, em junho de 2007. O projeto nasceu do desejo do diretor Luiz Fernando Carvalho de reencontrar o país, através da adaptação de obras literárias. Com a exibição de duas microsséries por ano, o Quadrante fará uma grande caminhada por todos os estados brasileiros, reafirmando a identidade brasileira, mas sem abrir mão de suas contradições culturais. Adaptada por Bráulio Tavares, Luís Alberto de Abreu e pelo próprio diretor Luiz Fernando Carvalho, a escolha do romance como abre-alas do projeto não foi à toa. “Além de ser um desejo antigo – meu e do Ariano – de filmar A Pedra do Reino, acredito que é uma obra emblemática, profundamente enraizada, e que, a um só golpe, reúne as reflexões, as emoções e o riso necessários ao país”, afirma Carvalho.

No encontro no sertão da Paraíba, Ariano também falou sobre a nova obra que está criando – com quatro livros – e sobre o manuscrito que escreveu para a microssérie da TV Globo com desfechos de alguns personagens de “A Pedra do Reino”, que foram incorporados à adaptação para televisão.

“Estou trabalhando em um livro que é composto de quatro romances: o primeiro é ‘A Nova Pedra do Reino’; o segundo é ‘Quaderna, o Decifrador’, onde vou terminar a história de ‘A Pedra do Reino’ – término esse que já foi esboçado para vocês; o terceiro é ‘A Onça Castanha’ e o quarto é ‘O Palco dos Pecadores’. Não sei se vocês já notaram, mas, se um dia o pecado acabar, acaba também o teatro. Todos os bons personagens de teatro são grandes pecadores. O bom cidadão é por definição um bom cidadão, mas é um péssimo personagem. Eu digo sempre: tudo que é bom de passar, é ruim de contar”, fala o bem-humorado Suassuna.

Sobre as folhas de papel almaço nas quais Ariano retomou sua obra 35 anos depois de publicá-la, criando desfechos para alguns personagens de “A Pedra do Reino”, o diretor Luiz Fernando Carvalho as toma como um presente. “Do ponto de vista da criação, é um gesto que traz uma lição linda, ligada ao tempo. Nunca saberemos qual o instante em que as coisas se dão por findas. Qual o momento? Em que instante?”, questiona Carvalho.

Já no final do encontro, o escritor paraibano fez questão de elogiar o ator pernambucano Irandhir Santos, que dará vida a Quaderna, protagonista do romance. “Gostaria que vocês não ficassem enciumados, mas quero fazer uma ressalva sobre uma referência que eu li na imprensa. O Irandhir Santos disse que tinha notado que todas as buscas do Quaderna eram realizadas na direção de Deus. É isso mesmo. Foi a primeira vez que um ator foi tão profundamente no caráter de Quaderna”, declarou Suassuna, agradecendo o empenho do elenco e da equipe de criação da microssérie.

Fonte: Camila Azevedo (Rede Globo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top