All for Joomla All for Webmasters

BALDUÍNO LÉLIS AOS SEUS 80 ANOS: Uma vida dedicada a memória do povo paraibano

Balduíno Lélis, paraibano, nascido em Taperoá no coração do semiário – Cariri Paraibano – dedicou sua vida à Cultura, Arqueologia, Paleontologia e a Preservação da Memória do Povo Paraibano, concluiu apenas o primário na escola Dona Antonia Lelis na sua cidade natal. Autodidata, aprendeu a falar Espanhol, Frances e Italiano e Merrime (Kanella) língua indígena (domínio para conversação).

Durante sua vida profissional tornou referência no país e no mundo, quando citado pela Enciclopédia Britânica pela relevância das pesquisas por ele realizadas sobre a cultura pré histórica nos sítios arqueológicos da Itacoatiara do Ingá- PB.Lecionou na Universidade Federal da Paraíba e do Ceará e na Universidade de Tóquio no Japão, esteve como professor convidado para ministrar palestras sobre baleias pleistocênicas.

Aos seus oitenta anos vivendo na pacata cidade de Taperoá ,deixa um grande legado para a cultura brasileira, onde pesquisou e implantou 14 museus, chamado pelos “Notáveis” da Paraíba de “O Senhor Museu” .

Na sua lista de museus estão: Museu Escola e Sacro da Paraíba ,Museu Zoobotânico Arruda Câmara,Museu Epitácio Pessoa –Tribunal de justiça da Paraíba,Museu da Terra e do Homem – UNIPE,Museu de Augusto dos Anjos UNIPE ,Memorial de Humberto Nóbrega UNIPE, Memorial da Energia Cruz do Peixe JP ,Museu Histórico de Monteiro ,Museu Nacional dos Carros de Boi – Monteiro ,Memorial de Miguel Guilherme – Sumé ,Museu histórico e cultural de Cabaceira s,Museu Nacional do Bode – Cabaceiras ,Museu Didático e Antropológico da FAFI – UFPB .

Nas suas diversas faces é ator, cineasta, romancista, e artista plástico, nas décadas de 60 e 70 uniu-se a jornalistas, escritores e estudiosos e fundou: Associação Brasileira de Geógrafos ( 1962) , União Brasileira de Escritores –Seção da Paraíba (1963) Centro Brasileiro de Arqueologia (1964) ,Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica (1970) e torna-se sócio da: Associação Brasileira de Museologia (1965) , da Associação dos Membros do ICOM -1970. É Imortalizado pela Academia de Letras Municipais do Brasil e Correspondente do Museu Imperial de Petrópolis.è fundador e vice Presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Cariri –IHGC com sede em São João do Cariri onde foi homenageado em vida ,dando o seu nome ao museu da cidade matriarca da região Caririzeira – Museu Balduíno Lelis .

Como pesquisador e folclorista, conterrâneo e amigo de Ariano Suassuna, conviveu com ilustres como ,Glaber Rocha ,José Lins do Rego, Câmara Cascudo, Luiz Almeida, Assis Chateaubriand e amigo de Jose Americo de Almeida, que em 1957 nomeou-o Promotor Adjunto da Comarca de Taperoá.

Dentre das suas principais pesquisas estão: Cerâmica Popular da Paraíba ,Cerâmica Popular do Ceará – Tabatinga do Aracati 1967 ,Cerâmica utilitária no nordeste PB CE RN MA ,Cerâmica Indígena do Areeiro, Cerâmica Marajoara Poço do Capim – Ilha de Marajó .Levantamento das inscrições Rupestre da Paraíba (1965 a 1969) Exumação da área Arqueológica do ingá , Auxiliar do Prof° Carlos de Paula Couto – diretor do Museu de Paleontologia do Museu Nacional – 1962 ,Ciclo do couro na Paraíba , Teares de algodão e bolandeiras do Cariri e Sertão Paraibano, Levantamento folclórico da Paraíba, Levantamento folclórico -místico e mítico e religioso do Itapicurú para o Dept° de Antropologia da UFPB ,Plantas medicinais usadas no Itapicuri ( colinas) , Traços étnicos ,familiares sócias folclóricos míticos místicos comportamentais de colinas – MA , Casa de Farinhas da Paraíba,mandiocas lendas ,Pesquisa sobre o João redondo – folclore da região canavieira da Paraíba, chefiou a da expedição Alto Tupy – 1964 pelo instituto de antropologia do Cera –UFCE

Como romancista escreveu ainda não publicado: A bota maldita – contos regionais; O Conto dos Contos de Réis; O Causo do Capitão Tranquilino e o Padre Ananias.

Atuou no primeiro longa metragem rodado na Paraíba “ Fogo Salário da Morte ,produção de José Bezerra e Solha, também foi dele o papel do Capitão Antonio Silvino no longa “Menino de Engenho”, uma produção de Glaber Rocha e Walter Lima as mais recentes atuação na sétima arte são :São Gregório no filme “São Gerônimo “de João Bressane , o Coronel Bezerra na minissérie o Auto da Compadecida (gravado em Taperoá) e o pai de Padre Rolim no longa “Um Sonho de Inacim –O aprendiz de Padre Rolim , direção de Eliézer Rolim. Fundou também com seus amigos cineastas a Academia Paraibana de Cinema .

E em 1987 diante do êxodo nordestino, cria a Universidade Leiga do Trabalho em pleno coração do cariri. Onde os ofícios são repassados de uma geração para outra e ai sim garantir que a cultura do fazer de hoje e ontem possam acontecer no futuro, hoje a ULT é reconhecida pelo Ministério da Cultura como Pontão de Cultura que capacita e forma os jovens como “Guardiões da Memória”

Por esses feitos recebe menções honrosas e Voto de louvor: da Assembléia da PB pela colaboração a cultura da PB -1969, da Câmara municipal da Paraíba serviços prestados a valorização da cultura, em 1966 recebe do voto de louvou do Conselho universitário da UFPB pela implantação do museu didático da FAFI -1966 e Câmara municipal pela implantação do Zoobotancico 1972.

Recebe Honra ao mérito no IV Centenário Paraíba e na VI noite da Cultura paraibana, e a Medalha Rui Barbosa do congresso dos Tribunais de Contas do Brasil.

Aos 80 (oitenta ) anos completados no último dia 23 de agosto continua se dedicando as suas pesquisas concentrando suas atividades na criação e implantação do Museu da “Com Ciência” Nordestina, Memorial que contará os hábitos e costumes do cotidiano do povo nordestino, que será instalado na cidade de Taperoá sua Terra Natal.

 

taperoa.com
Com Alice Monteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top