All for Joomla All for Webmasters

Carros-pipa


Exército investiga denúncias de irregularidades com carros-pipa e reforça fiscalização em 57 municípios do Agreste, Cariri e Curimataú
Exército investiga denúncias de irregularidades com carros-pipa e reforça fiscalização em 57 municípios do Agreste, Cariri e Curimataú

O comando do 31° Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz) instaurou uma sindicância e um inquérito policial militar para apurar possíveis irregularidades no funcionamento da ‘Operação Carro-Pipa’ no município de Umbuzeiro, no Agreste paraibano.

Entre as irregularidades investigadas estaria a retirada de água em locais não cadastrados e a realização dos serviços por pessoas não cadastradas como pipeiros. Além disso, o Exército apura denúncias de uma possível extorsão praticada por militares. Por conta disso, a instituição está reforçando as fiscalizações nos 57 municípios localizados nas regiões do Agreste, Cariri e Curimataú do Estado e afastou da operação os militares que estão sob suspeita de extorsão.

Segundo o comandante do 31° BIMtz, coronel Cruz Júnior, as primeiras informações surgidas eram de que pessoas não cadastradas estariam fazendo o abastecimento d’água em comunidades da zona rural, e a água utilizada seria levada de reservatórios não recomendados pelo Exército. “Depois que tivemos essas informações, de boatos surgidos, nós encaminhamos nossa fiscalização para apurar, e constatamos os indícios”, explicou o comandante.

No decorrer das investigações, que começaram há mais de um mês, pessoas relataram que militares responsáveis pela fiscalização teriam exigido dinheiro, como recompensa para não revelar as irregularidades na distribuição da água. As quantias exigidas, de acordo com o comando, foram também relatadas durante o inquérito, mas não podem ser relevadas.

“Aí foi quando nós resolvemos instalar o inquérito para apurar. Se ao final das apurações chegarmos à conclusão de que houve problemas envolvendo nosso pessoal, as medidas serão adotadas. Nesse momento nós não podemos revelar nomes, porque os militares podem ser inocentes”, acentuou Cruz Júnior.

As investigações do Exército, conforme o comandante, apontam para três possibilidades: os militares podem realmente ter exigido dinheiro dos pipeiros; as pessoas que estariam irregulares podem ter denunciado os militares para incriminá-los; ou os militares investigados podem não ter constatado irregularidades. “Vamos ter que aguardar o fim das investigações para podermos ter a certeza do que realmente ocorreu”, frisou Cruz Júnior.

O inquérito policial militar deverá ser concluído em quarenta dias, mas poderá ser prorrogado por mais quarenta. Enquanto as apurações continuam, o comando do 31° BIMtz resolveu afastar da operação os militares que estão sob suspeita, e intensificar o trabalho de fiscalização no município. Uma equipe especial foi designada para acompanhar de perto a distribuição de água nas comunidades.

Apenas em Umbuzeiro, a ‘Operação Carro-Pipa’ atende a 5.610 famílias e é realizada por sete pipeiros. Na região de Campina Grande, o trabalho atende a mais de 300 mil beneficiados. O Exército possui 265 pipeiros cadastrados e autorizados a fazer a distribuição de água. Ao órgão cabe apenas fazer o pagamento dos pipeiros cadastrados e fiscalizar o andamento dos serviços.

taperoa.com
JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top