All for Joomla All for Webmasters

Chove em mais de 100 municípios

Chove em mais de 100 municípios e vários açudes sangram .

Com as cheias dos rios Paraíba e Taperoá, o açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) aumentou seu volume em 8,4 milhões de metros cúbicos. Coremas/Mãe D’água, o maior do Estado, também aumentou de volume e está agora com 83% de sua capacidade total, que é de 1,3 bilhão de metros cúbicos.

Chove em mais de 100 municípios e vários açudes sangram .

Com as cheias dos rios Paraíba e Taperoá, o açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) aumentou seu volume em 8,4 milhões de metros cúbicos. Coremas/Mãe D’água, o maior do Estado, também aumentou de volume e está agora com 83% de sua capacidade total, que é de 1,3 bilhão de metros cúbicos.

Chuvas no Cariri provocam cheias nos rios Taperoá (foto) e Paraíba e aumentam o volume do açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande e mais 15 municípios do compartimento da Borborema

O Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão), o segundo maior do Estado e que abastece Campina Grande e outros mais de 15 municípios do Compartimento da Borborema, começou a recuperar o seu volume d’água na madrugada de ontem, com as cheias dos rios Paraíba e Taperoá. Na manhã de ontem, o volume do açude aumentou sua lâmina em 28 centímetros e estava em 272,1 milhões de metros cúbicos (66,1% da capacidade), ou seja, 8,4 milhões a mais do que o volume registrado na segunda-feira, que era de 263,6 milhões.

As chuvas estão sendo fortes nos municípios que formam a bacia dos rios e do açude, a exemplo de Cabaceiras, que registrou a maior precipitação da Paraíba: 218 milímetros num só dia. O volume é considerado muito alto, levando em consideração que choveu mais de 65% de toda a média prevista para o ano, que é de 333mm.

A enxurrada deixou vários estragos no município de Cabaceiras. Vários bois e vacas foram arrastados pelas águas dos dois rios e morreram. Cerca de 20 casas foram destelhadas, árvores caíram e o município ficou sem energia e água. Parte do asfalto da estrada da cidade foi embora e o acesso está difícil.

Com uma capacidade de acumulação de 411,6 milhões de m3, Boqueirão deve chegar hoje a 290 milhões de m3, caso as chuvas que vêm ocorrendo na região continuem, de acordo com dados da Aesa – Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba, que monitora os mananciais paraibanos.

O açude de Boqueirão começou o mês de março com um volume de 268,2 milhões de metros cúbicos, tendo chegado ao dia 17 com apenas 263,6 milhões, registrando uma perda de 4,5 milhões em função da evaporação provocada pela alta temperatura e pelo consumo, que tende a cair em função da temperatura baixar.

As chuvas que caem na Paraíba e que começam a chegar ao Cariri, Curimataú e Brejo também têm sido observadas em outras regiões, fazendo transbordar vários açudes: Cachoeira da Vaca, no município de Cachoeira dos Índios; Cachoeira dos Alves (Itaporanga); Queimadas (Santana dos Garrotes); Bom Jesus (Carrapateira), Jenipapeiro (São José da Lagoa Tapada), Cafundó (Serra Grande), São José I (São José de Piranhas) e Tavares II (Tavares). Nas últimas 24 horas, choveu em 112 municípios.

O açude Coremas/Mãe D’Água, o maior do Estado, também vem aumentando o seu volume com as chuvas que vêm caindo. O manancial, que tem uma capacidade de 1,3 bilhão de m3, está com 1,1 bilhão, com 83% de sua capacidade.

Dia de São José é marcado por expectativa e crendices

Os agricultores paraibanos têm dois motivos para manter as esperanças de que o ano será bom de inverno: primeiro, as previsões dos meteorologistas de que as chuvas serão regulares e acima da média em 2007 estão se confirmando. Segundo, as precipitações ocorrem exatamente no início da estação chuvosa.

As expectativas, no entanto, estão voltadas para hoje, Dia de São José, padroeiro dos agricultores. Diz a lenda que se chover até a data, o inverno está garantido e o milho que será consumido no São João será em abundância. Quem não plantou ainda, planta para colher no mês de junho, festejando a colheita com mesa farta e muita festa.

As chuvas dos últimos dias fortaleceram ainda mais a fé em São José. As homenagens ao santo têm o ponto alto hoje. A Igreja Católica em todos os municípios paraibanos festejam a data, com missas e novenários, com a participação em massa de agricultores, que creditam ao santo o bom inverno e a boa safra.

O dia dedicado a São José realmente se reveste de grande importância para o sertanejo, que dá crédito a muitas crendices populares. Precede de 48 horas o equinócio (fenômeno que acontece em março em que o dia e a noite têm duração igual), não sendo rara nele a mudança de tempo. Por isso, se até essa data o inverno não se manifestar, consideram-se perdidas todas as esperanças. Também se afirma que, se a 19 de março amanhecer o dia com céu limpo e sol, ainda haverá inverno, embora atrasado; mas, se amanhecer chovendo, a seca será terrível.

taperoa.com
A União
Bastos Farias – Chefe de reportagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top