All for Joomla All for Webmasters

Desertificação

Desertificação avança no semi-árido paraibano.

Mais de 200 municípios paraibanos sofrem com o processo Já são mais de 200 municípios paraibanos sofrendo com o processo de desertificação. Desertificação avança no semi-árido paraibano.

Mais de 200 municípios paraibanos sofrem com o processo Já são mais de 200 municípios paraibanos sofrendo com o processo de desertificação.

Preocupada com a situação a Universidade Estadual da Paraíba inicia ações para a elaboração de projetos voltados ao desenvolvimento sustentável do Estado Trata-se de projetos integrados à Agenda 21, que, entre outros, tem como objetivo, o enfrentamento e a busca de soluções para o problema da semi-desertificação de áreas localizadas no semi-árido paraibano.

Segundo o professor Jeremias Jerônimo de Lima, que assumiu a Pró-Reitoria de Integração e Desenvolvimento Estadual da UEPB, diz que entre as medidas está a elaboração de projetos na área específica do semi-árido, ou na captação de recursos e capacitação de pessoal; e articulação com o Governo do Estado e prefeituras, para celebração de parcerias; colocação da UEPB à disposição do Estado, para aplicar, na prática, os resultados de pesquisas já realizadas; e projetos que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável da Paraíba.

No semi-árido da Paraíba, o professor Jeremias Jerônimo esclarece que, as áreas onde o processo de semi-desertificação vem se acentuando, estão localizadas nas regiões do Cariri, Curimataú e Sertão. Mas a maior incidência ocorre no Sertão, mais precisamente nas áreas polarizadas por Catolé do Rocha, Cajazeiras, Pombal, Riacho dos Cavalos e Sousa.

A Agenda 21 prevê a adoção de medidas técnicas para minimizar o processo desertificação, que compreendem ações visando à recuperação da cobertura vegetal, com o emprego de espécies nativas das regiões afetadas. O projeto de reflorestamento já foi indicado pelo Instituto Nacional do Semi-Árido; e poderá ser executado, mediante a captação de recursos junto ao Governo Federal e a organismos internacionais.

O pró-reitor Jeremias Jerônimo explica, que, a UEPB está oferecendo todo o seu potencial humano, profissional e estudos, para a implementação de parcerias e convênios, que poderão ser celebrados com instituições governamentais e não governamentais.

Ele menciona o caso do Sebrae Paraíba e de outras instituições voltadas à pesquisa e ao desenvolvimento. Na esfera estadual, um dos parceiros nessa iniciativa, é a Secretaria de Interiorização. A equipe disponibilizada pela UEPB é integrada por técnicos doutores e mestres, nas áreas de meio ambiente e elaboração de projetos.

taperoa.com
Wscom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top