All for Joomla All for Webmasters

Governo lança catálogo de artesanato da PB

O governador do Estado, Cássio Cunha Lima, e a coordenadora do Programa de Artesanato “A Paraíba em suas Mãos”, a primeira-dama, Sílvia Cunha Lima, lançaram ontem o primeiro Catálogo “Artesanato e Arte Popular na Paraíba”, em uma cerimônia prestigiada com a presença do dramaturgo e escritor paraibano Ariano Suassuna e da arquiteta Janete Costa, na Casa do Artista Popular da Paraíba, na Praça da Independência, no Centro da capital. O governador do Estado, Cássio Cunha Lima, e a coordenadora do Programa de Artesanato “A Paraíba em suas Mãos”, a primeira-dama, Sílvia Cunha Lima, lançaram ontem o primeiro Catálogo “Artesanato e Arte Popular na Paraíba”, em uma cerimônia prestigiada com a presença do dramaturgo e escritor paraibano Ariano Suassuna e da arquiteta Janete Costa, na Casa do Artista Popular da Paraíba, na Praça da Independência, no Centro da capital. “É um registro que se faz pela primeira vez da arte popular, do artesanato paraibano, e que vai permitir a ampliação desse trabalho de divulgação”, disse Cássio Cunha Lima. O objetivo central do catálogo, que teve 5 mil exemplares editados pelo projeto, é promover resultados positivos na comercialização do trabalho dos artesãos, estimulá-los a produzir e gerar sua própria renda, como a ceramicista Maria das Neves Paiva, que diz ter “tanta encomenda que não tem mais tempo para nada”.

O escritor Ariano Suassuna, que fez a apresentação do catálogo, lembrou que a arte popular é importante na definição do País como nação. “A diferença de artesanato para arte é pelo predomínio da utilidade ou da beleza. Não é que uma obra de arte não seja útil, mas tem por definição a predominância da beleza; já no artesanato, acontece o contrário, a predominância da utilidade sobre a beleza”, explicou Ariano Suassuna.

Segundo Sílvia Cunha Lima, o catálogo será distribuído com os ministérios, com arquitetos, em feiras, eventos de artesanato, bibliotecas públicas e onde houver espaço para a cultura. O trabalho, que reúne 4 mil peças de artesanato, é fruto de um projeto coordenado pela equipe do Programa “A Paraíba em suas Mãos” e impresso através de incentivo da Lei Rouanet, do Ministério da Educação e Cultura (MEC), com o apoio do governo do Estado, da Saelpa e da Fundação Casa de José Américo, proponente do projeto. Há perspectivas de se fazer uma segunda edição devido à quantidade de pessoas que entraram no programa durante a produção do catálogo, aumentando de dois mil artesãos para quatro mil.

taperoa.com
JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top