All for Joomla All for Webmasters

Hospital Geral de Taperoá realizará 2ª etapa do mutirão de cirurgias de catarata

Mutirão será realizado essa semana, nos dias 19 e 20 e beneficiará 30 pacientes. Em outubro, outros 31 pacientes já realizaram o procedimento com sucesso no HGT

O Hospital Geral de Taperoá (HGT) dará início à segunda etapa do mutirão de cirurgias de catarata. As intervenções acontecem nesta quarta-feira (19) à tarde, quando 15 pessoas serão submetidas ao procedimento. Na quinta-feira (20), outros 15 pacientes farão a operação, só que desta vez, no turno da manhã. Segundo o diretor geral do Hospital, Alex Cabral, os 30 pacientes agendados são todos de Taperoá e passaram por triagem no final de setembro, quando foi realizada a primeira etapa do mutirão de catarata que beneficiou mais 31 pacientes com o procedimento.

Conforme explicou o diretor geral do Hospital, que integra a rede estadual de saúde, os pacientes que farão cirurgia no HGT também já fizeram exames de sangue, coagulograma e glicemia no próprio hospital. “Os pacientes já estão prontos para se submeterem à cirurgia”, comentou o diretor da unidade de saúde, Alex Cabral, frisando ainda que as cirurgias serão todas realizadas nesses dois dias pelo médico oftalmologista, Fabiano Brandão, que já participou da primeira etapa do programa.

Ele lembrou que o mutirão de cirurgia de catarata é uma parceria do Hospital com a Secretaria de Saúde do Governo do Estado e que a pretensão é realizar a terceira etapa do programa até dezembro. No dia 20, à tarde, será feita outra triagem, desta vez para 100 pessoas. “A expectativa é atender cerca de 12 municípios da região, por isso o quantitativo é maior”, adiantou Alex.

Para o superintendente do Instituto Gerir, Organização Social que administra o HGT, Edsamuel Araújo, a ação está sendo muito positiva tanto para o hospital quanto para os pacientes. “O hospital ganhou credenciais porque realizamos o primeiro mutirão de catarata com muito sucesso, tanto que estamos dando continuidade a esse trabalho, atendendo mais 30 pacientes, devolvendo-lhes a oportunidade de voltar a enxergar”, disse Edsamuel.

Já em relação ao paciente, Alex destaca o aspecto social da ação. “É extremamente importante para o paciente voltar a enxergar. Assim ele resgata a sua qualidade de vida e volta a realizar seus afazeres comuns de dia a dia. E o mais importante: ele tem conseguido isso sem ter que se deslocar longas distância porque faz a cirurgia perto de onde mora”, explicou o diretor geral da unidade de saúde, lembrando que antes o procedimento era realizado em Campina Grande ou em João Pessoa.

Com Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top