All for Joomla All for Webmasters

Mais nutrientes

Fruto da palma apresenta mais nutrientes que laranja e mamão. Há tempos o fruto da palma forrageira é utilizado como alimento humano. Mas o que ainda não se sabia era que ele possuísse uma fonte de nutrientes tão importante para o homem. Fruto da palma apresenta mais nutrientes que laranja e mamão. Há tempos o fruto da palma forrageira é utilizado como alimento humano. Mas o que ainda não se sabia era que ele possuísse uma fonte de nutrientes tão importante para o homem.

Uma recente pesquisa realizada na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), aponta que o Opuntia ficus, também conhecido por figo-da-índia, apresenta valores nutricionais semelhantes aos dos demais frutos da região e em muitos casos supera alguns parâmetros desses.

A palma forrageira é nativa do México e foi introduzida no Brasil por volta de 1880, mais precisamente no Estado de Pernambuco, através de sementes importadas do Texas – Estados Unidos. No Nordeste brasileiro, são encontrados três tipos distintos de palma: gigante (da espécie Opuntia fícus indica); redonda (Opuntia sp); e miúda (Nopalea cochenilifera).

Em regiões de clima semi-árido, a palma é a base da alimentação dos ruminantes (mamíferos herbívoros). É uma das principais fontes de alimento para o gado leiteiro em épocas de estiagens prolongadas – já que contém muita água em sua estrutura e não necessita de tanta chuva para sobreviver. É rica em mucilagem e resíduo mineral e, muitas vezes, serve até como alimento para humanos.

O estudo, desenvolvido pela estudante do curso de Química Industrial da UEPB Antonielly dos Santos Barbosa, e orientado pela professora Vanisua Cavalcanti França Pires – através do Programa de Iniciação Científica (Proinci) -, revela que o teor de fibra total do fruto da palma (2,00%) é quase três vezes superior ao do mamão (0,8%) e até quatro vezes maior que o da laranja (0,5%). A pesquisa revelou ainda que o teor de cálcio presente na palma é de 70mg%, enquanto que a média da laranja e do mamão é de 40mg% e 20mg%, respectivamente.

Além da caracterização física e físico-química de frutos da palma maduros, coletados na região do Cariri paraibano, a pesquisa buscou ainda o desenvolvimento de produtos a partir da polpa. Foi aplicando um teste sensorial e de consumo com o iogurte e o doce pastoso feitos da palma. Para medir o grau de aceitação, trinta pessoas experimentaram os produtos desenvolvidos e, através de um questionário, foi detectado o grau de satisfação delas com os itens consumidos. Ambos os produtos foram aprovados, e o doce pastoso teve 53,33% de aceitação. Já 63,3% dos entrevistados responderam que “comeriam o iogurte em toda oportunidade que tivessem”.

“Os resultados da pesquisa evidenciaram que a polpa dos frutos da palma apresenta baixos teores de acidez e pectina, além de interessantes teores de proteína e cálcio. Nos baseando na análise comparativa que realizamos com a laranja e o mamão, verificamos que seu consumo representa uma forma de alimentação bastante saudável. Recomendamos o consumo da palma como forma de enriquecimento nutricional e diversificação do paladar”, declarou a estudante Antonielly dos Santos. “A análise dos frutos da palma poderá valorizar sua comercialização, estimulando seu cultivo e evitando o desperdício no campo”, completou a orientadora Vanisua Cavalcanti França Pires.

Cultivo é alternativa econômica

O cultivo do fruto da palma pode se revelar como uma alternativa econômica e sustentável para o semi-árido brasileiro, visto que é uma cultura que apresenta aspecto fisiológico especial quanto à absorção, aproveitamento e perda de água, sendo bem adaptada às condições adversas do clima da região, suportando prolongados períodos de estiagem. “A palma tem alta produtividade e é propícia a se desenvolver no semi-árido durante todo o ano”, justificou a pesquisadora Vanisua Cavalcanti.

Talvez por culpa do incômodo causado pelos pequenos espinhos ou por conta do desconhecimento, o figo-da-índia ainda não conquistou grande espaço no mercado nacional. No Brasil, o cultivo industrial do fruto ainda é bastante restrito. O município brasileiro que apresenta maior produtividade é Valinhos, no interior de São Paulo. “Em apenas dois hectares de terra, mais de vinte mil caixas, com cinco frutos cada, são fabricadas anualmente, com 70% da produção voltada para o mercado europeu”, sublinhou a estudante Antonielly dos Santos. “A importância de usufruir ao máximo a diversidade da fruticultura brasileira, faz com que um maior número possível de frutas silvestres e nativas sejam caracterizadas”, completou Antonielly.

A palma exige solo de qualidade para ter bom rendimento. Uma boa fonte de nutrientes, o esterco de curral, é muitas vezes desprezado por produtores que desconhecem o potencial deste adubo orgânico, capaz de duplicar a produtividade de palma por hectare. A falta de conhecimento leva muitos pecuaristas a venderem grande parte do adubo orgânico para produtores de fumo e hortaliças. (TF)

taperoa.com
JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top