All for Joomla All for Webmasters

Plin-plin: Taperoá mais uma vez se vê na Globo

A emissora carioca adapta mais uma obra de Ariano

Em janeiro de 1999 estreava em horário nobre na Rede Globo de Televisão a minissérie de 8 capítulos O Auto da Compadecida estrelada por Mateus Nachtergaele e Selton Melo que viveram as personagens João Grilo e Chicó, respectivamente, e que encantaram todo o Brasil com suas peripécias. A emissora carioca adapta mais uma obra de Ariano

Em janeiro de 1999 estreava em horário nobre na Rede Globo de Televisão a minissérie de 8 capítulos O Auto da Compadecida estrelada por Mateus Nachtergaele e Selton Melo que viveram as personagens João Grilo e Chicó, respectivamente, e que encantaram todo o Brasil com suas peripécias. Ainda naquele ano, a atração vista por milhões de brasileiros, foi adaptada para o cinema batendo recorde de bilheteria. A obra do escritor Ariano Suassuna se tornou a terceira adaptação para a TV. Agora mais uma vez a cidade de Taperoá vai se ver na telinha da Globo.

Com estréia prevista para junho deste ano como parte das comemorações de aniversário de Ariano, entra no ar no horário nobre da emissora a microssérie A Pedra do Reino.

Os profissionais da Rede Globo desembarcaram na cidade em julho de 2006 e deram início ao trabalho de cerca de 5 meses para dar vida a história de Quaderna, principal personagem da obra. Inicialmente as gravações aconteceriam apenas no Projac – Projeto Jacaré Paguá, Complexo de criação e produção da emissora situado no Rio de Janeiro, mas ficou decidido que todas as gravações ocorreriam em Taperoá.

Entre engenheiros, direção de arte, figurinistas, estava o consagrado diretor de TV Luiz Fernando Carvalho que já adaptou para a Globo duas outras obras de Ariano, Uma Mulher Vestida de Sol (1993), e A Farsa da Boa Preguiça exibida também em horário nobre na década de 1990. A rua XV de Novembro, conhecida por Chã da Bala, serviu como principal locação para as gravações da Pedra do Reino. O local teve que passar por transformações. Na fachada das casas foram instalados moldes de catacumbas em madeira para compor o cenário de um cemitério. Segundo o diretor de arte João Dantas, filho do dramaturgo, o cenário é uma homenagem à história de Taperoá, visto que no local ocorreu no século passado um conflito armado entre dois grupos de cangaceiros, daí o motivo de a rua ter ficado conhecida como Chão de Bala (ou chã da bala como é vulgarmente chamada), devido ao grande número de cápsulas de projéteis espalhados pelo chão.

Pedido atendido

Uma das exigências do escritor Ariano Suassuna foi o de que a emissora contratasse atores e mão-de-obra locais. Houve seleção de elenco nas cidades de Taperoá, João Pessoa e de Pernambuco. Foram contratados, ainda, também da região, pessoal para fazer a segurança, figurino, figuração, e alimentação da equipe de filmagem. A maioria dos funcionários contratados temporariamente pela Globo, em especial os profissionais que vieram de fora, ficaram instalados em casas alugadas pela emissora, e outros no Hotel Pedra do Reino. Para oferecer mais conforto e qualidade nos serviços para os hóspedes, o hotel teve de ser ampliado. Nos quartos foram instalados refrigeradores de ar, assegurando boa comodidade no período em que esteve lotado. A expectativa agora é de que com a exibição da microssérie a partir de junho próximo, projetando Taperoá através da quarta maior emissora de televisão do mundo, a cidade receba visitantes vindos de várias partes do país, como já acontece antes mesmo da estréia, e como ocorre também no município de Cabaceiras onde foi gravado em 1998 a minissérie O Auto da Compadecida que divulgou o nome de Taperoá em todo o país.

taperoa.com
Jandro Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top