All for Joomla All for Webmasters

Recanto preservado na Caatinga

Natureza do município de Taperoá
A Pedra do Pico, em Taperoá, é um recanto preservado da Caatinga que atrai a atenção dos amantes da natureza.

A ação do vento e da chuva escavou na pedra os contornos de uma figura que parece a cara de um gorila. Mais acima, uma trilha de bromélias desperta a atenção dos visitantes, por causa do colorido inusitado, que se confunde com as cores do horizonte. Este é um dos cenários naturais e curiosos da Pedra do Pico, em Taperoá, no Cariri paraibano, a 308 Km da Capital, que começa a despertar para o turismo ecológico.

Recanto preservado na Caatinga começa a atrair turistas

A Pedra do Pico, em Taperoá, é um recanto preservado da Caatinga que atrai a atenção dos amantes da natureza.

A ação do vento e da chuva escavou na pedra os contornos de uma figura que parece a cara de um gorila. Mais acima, uma trilha de bromélias desperta a atenção dos visitantes, por causa do colorido inusitado, que se confunde com as cores do horizonte. Este é um dos cenários naturais e curiosos da Pedra do Pico, em Taperoá, no Cariri paraibano, a 308 Km da Capital, que começa a despertar para o turismo ecológico.

Os mapas geográficos do Estado indicam uma altura de 924m metros para este acidente geográfico de singular beleza, que pertence ao complexo de montanhas da Cordilheira da Borborema.

A importância histórica do setor é estratégica. Por aqui, passaram as primeiras expedições de bandeirantes da Casa dos Garcia D`Ávilla, na Bahia, com o objetivo de colonizar as sesmarias concedidas aos pioneiros portugueses que povoaram a região, dando origem às prósperas cidades e fazendas de criação de gado do Cariri.

Este paraíso ecológico, a Pedra do Pico, situa-se a Noroeste do centro de Taperoá, a uma distância de 18 Km da área urbana. É uma nesga de terra espremida entre o Sítio Olho D’água e a Serra das Almas, onde a ocorrência de ipês amarelos e variadas plantas xerófilas, emprestam um colorido especial à paisagem, principalmente nos dias de sol.

Encravado numa região de transição climática entre o Cariri e o Sertão, o sopé da Pedra do Pico é um verdadeiro oásis, em pleno semi-árido. O setor se mantém verde em todas as épocas do ano. É beneficiado pela superficialidade do lençol freático, que libera água de excelente qualidade para irrigar as fruteiras.

A explicação para a existência deste cinturão verde ao pé da montanha é simples: as camadas de rochas cristalinas impedem a absorção total da água e o excesso é lançado no ar, em forma de finíssima chuva, pela transpiração das jaqueiras, mangueiras e cajueiros, que existem lá há mais de 100 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top