All for Joomla All for Webmasters

Saiba a verdade e o porque do MST em Taperoá


No dia 04/11/2009, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra do Brasil, (MST), ergueu a sua bandeira no município de Taperoá.
No dia 04/11/2009, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra do Brasil, (MST), ergueu a sua bandeira no município de Taperoá.

Mais de 40 (quarenta) famílias de agricultores que reivindicam um pedaço de terra para trabalhar, já acampam no Acampamento São José Operário na saída para Desterro. Depois que foram cadastradas por líderes do MST, agora aguardam esperançosas o grande momento de entrarem em sua terra.

A organização dos agricultores atraiu a curiosidade de muitos, e dividiu muitas opiniões. Numa sociedade em que a cultura da exploração e o famoso jeitinho brasileiro insistem em predominar, não poderia ser diferente. Quem tem legitimidade para defender os agricultores, e deveria lhes dar todo apoio, está fazendo de conta que nem sabe de que se trata. Pelo menos aparenta.

Mas afinal o que é liberdade?
Durante décadas, a pecuária sustentou a economia no nordeste. Sempre se deu bem os grandes fazendeiros, que sem piedade exploravam quem realmente fazia a terra produzir: meeiros, moradores, mulheres e crianças que sequer tinham o direito de estudar ou de dar uma vida digna as suas famílias. Olhando a nossa história, aparecem destacados nomes que sem piedade devastaram a natureza, destruindo a nossa fauna, a nossa flora se envolveram em escândalos e enriqueceram as custas do empobrecimento da maioria.E assim criaram condições que inviabilizaram a permanência do agricultor no campo. "Liberdade: é ter coragem de quebrar as corrente que tentam manipulá-la".


ACAMPAR É NECESSÁRIO
Os agricultores sem terra de Taperoá, e de todo Brasil acampam porque sentem a necessidade da organização. Ao armarem suas barracas, começam a dar um plantão de um dia por semana. Divididos em grupos. As mulheres mantém a ordem durante o dia e cuidam da refeição dos homens que sentinelam durante a noite. As crianças e jovens têm o dever de estudar. Não é permitido o uso de bebidas alcoólicas, nem a permanência de pessoas que a tenha usado. O descumprimento de quaisquer das normas o(a) cadastrado(a) perde a condição de acampado .

* O acampamento São José Operário, faz parte da brigada Patativa do Assaré com sede em Patos, O INCRA é parceiro do movimento.

Não foi distribuído lonas e nem cestas básicas na reunião do dia 04/11/2009 realizada na capela de São Francisco. A articulação foi feita pelo agente da pastoral social da paróquia de Taperoá Zé Moreira, que viabilizou a vinda do militante do MST José Araújo, que é o coordenador do acampamento, e ele representa a brigada Patativa do Assaré, e não o INCRA.

* (A Lona foi doada pelo MST para cobrir as primeiras barracas a serem erguidas)

Para onde vão os acampados?
Segundo o membro da diretoria estadual do MST Sandro Alves, 11 áreas estão sendo vistoriadas no município de Taperoá pelo INCRA, o processo mais avançado é o da Fazenda Panati do Ex-promotor Antônio Vilar, isto não quer dizer que ela seja a primeira a ser loteada.



taperoa.com
(Zé Moreira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top