All for Joomla All for Webmasters

Sem escolaridade

Eleitores analfabetos são maioria em 119 municípios da Paraíba, o que corresponde a 53% dos municípios do Estado, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral.

Mais da metade dos municípios paraibanos tem a maioria do seu eleitorado composto por eleitores analfabetos. Segundo dados do TSE, tabulados pelo jornal Folha de São Paulo, dos 223 municípios da Paraíba, em 119 mais de 50% dos eleitores não sabem ler, o que corresponde a 53% dos municípios do Estado.

Eleitores analfabetos são maioria em 119 municípios da Paraíba, o que corresponde a 53% dos municípios do Estado, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral.

Mais da metade dos municípios paraibanos tem a maioria do seu eleitorado composto por eleitores analfabetos. Segundo dados do TSE, tabulados pelo jornal Folha de São Paulo, dos 223 municípios da Paraíba, em 119 mais de 50% dos eleitores não sabem ler, o que corresponde a 53% dos municípios do Estado.

A Paraíba só perde em números absolutos para a Bahia, com 203 municípios compostos por uma maioria de eleitores analfabetos, e, em números proporcionais, para Alagoas, com 63% dos municípios nesta situação.

No Brasil, dos 128 milhões de eleitores aptos a votar em outubro, 8 milhões são analfabetos e 20,3 milhões não provam qualquer nível de escolaridade. O TSE informa, no entanto, que os dados não são atualizados.

A pior situação está no Nordeste, onde 37% dos eleitores não sabem ler e escrever ou nunca foram à escola, segundo o TSE. O perfil da escolaridade do eleitorado brasileiro foi publicado na Folha (edição de terça-feira), numa reportagem com o título “Eleitor analfabeto é maioria em 17% das cidades do país”.
 
Veja, a seguir, a matéria da Folha:

Brasília – Dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) tabulados pela Folha revelam que um em cada seis municípios é dominado por eleitores analfabetos ou que nunca freqüentaram uma sala de aula.

Essa situação aparece em 936 (16,8%) dos 5.563 municípios com eleições marcadas para outubro. Neles, mais da metade dos eleitores se declarou analfabeta ou capaz de ler e escrever sem ter ido à escola. O segundo grupo é também conhecido como o de analfabetos funcionais, ou seja, pessoas que sabem decodificar a escrita, mas têm dificuldades para interpretar os textos.

Desses 936 municípios, 203 estão na Bahia, 119 na Paraíba e 118 no Piauí. Entre as regiões, a pior situação está no Nordeste, com índice de 37% dos eleitores analfabetos ou analfabetos funcionais. Norte (28%), Centro-Oeste, Sudeste (21%) e Sul (13%) aparecem a seguir.

Alagoas é o Estado com maior percentual de municípios em que mais da metade dos eleitores é composta por esse quadro (63%). Na seqüência, vêm Paraíba, Pernambuco e Piauí, todos com 53%.

O voto do eleitor com baixo ou nenhum grau de escolaridade é mais conservador, porque ele não apóia o que não conhece, diz o cientista político da UnB (Universidade de Brasília) Ricardo Caldas. Segundo ele, a ideologia tem um peso menor para esse segmento. “Ele [eleitor com esse perfil] tende a se identificar menos com idéias do que com pessoas.”

Dos 128 milhões de eleitores aptos a votar em outubro, 8 milhões são analfabetos e 20,3 milhões, sem escolaridade, apesar de dizerem saber ler e escrever.

Os dados de escolaridade do TSE são fornecidos pelos próprios eleitores no momento em que eles requerem o título. As informações só são atualizadas caso ocorra uma revisão do cadastro, o que acontece principalmente em locais onde há indícios de fraude, ou se o eleitor procurar o cartório eleitoral para corrigir o dado.

Assunção do Piauí, a 276 km de Teresina, lidera esse ranking. No município, divisa piauiense com o Ceará, 74,4% dos 5.536 eleitores são analfabetos (1.221) ou nunca foram à escola (2.900). “Temos muita dificuldade de levar os trabalhadores para a sala de aula. Eles ficam o dia inteiro na roça e não têm disposição para estudar à noite”, afirma Maria das Graças Bonfim Filha, secretária municipal da Educação.

“Outro problema, que já foi pior, é que eles (lavradores) costumam levar os filhos para a roça, tirando as crianças da escola”, completa a secretária”.

taperoa.com
CP – Folha Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top