All for Joomla All for Webmasters

Sítios arqueológicos

Quatro sítios arqueológicos, em diferentes regiões do Cariri e Curimataú paraibano, estarão sendo submetidos a escavações a partir deste mês de março, através do projeto “Cultura Tapuia no interior da Paraíba”.

O objetivo é distinguir os grupos indígenas do interior, genericamente conhecidos por Tapuias, e estabelecer domínios territoriais e cronologias de ocupações.

Segundo o historiador Vanderley de Brito, que participa dos trabalhos, as escavações acontecerão nas cidades de São João do Cariri, São João do Tigre, Cuité e Seridó.

Durante as escavações as escolas municipais irão levar seus alunos ao local para que recebam informações sobre arqueologia e educação patrimonial. Dois professores estarão desenvolvendo este trabalho com os estudantes. “Este será um trabalho inédito na Paraíba, em parceria com as prefeituras dos municípios. Para os estudantes será muito valioso ver teoria e prática juntos”, explicou o historiador.

O projeto “Cultura Tapuia no interior da Paraíba” busca reconhecer as etnias primitivas que habitaram o interior do território paraibano; suas tecnologias, artesanatos, meios de subsistência, complexidade religiosa, espaços geográficos e cronológicos, entre outros.

O trabalho está sendo desenvolvido pelo arqueólogo, historiador e professor da Universidade Estadual da Paraíba, Juvandi de Souza Santos, com a aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), também participam alunos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e técnicos da Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Católica de Pernambuco e da Sociedade Paraibana de Arqueologia.

Os procedimentos arqueológicos a princípio estão acontecendo no sítio Farias, localidade de Alagamar, no interior do município de São João do Cariri; no sítio Serrote das Pinturas, em São João do Tigre. “Estas pesquisas são as de maior relevância científica no campo da arqueologia da Paraíba que já se processou nos últimos trinta anos”, disse Vanderley de Brito.

Ao final dos trabalhos, parte do material exumado e analisado passará a compor os acervos dos museus de cada município e outra parte irá para o futuro Museu da Universidade Estadual da Paraíba. É pretensão também de Juvandi Santos publicar um livro condensando os resultados das pesquisas.

As primeiras fases do projeto começaram no início de 2007, com expedições para a seleção e planejamento dos sítios arqueológicos a serem escavados. A partir de agora estão sendo realizados estudos topográficos e plotagem do material arqueológico de superfície, procedimentos técnicos preliminares necessários ao processo de exumação arqueológica, prevista para começar em março.

taperoa.com
JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top