All for Joomla All for Webmasters

Vereador destaca importância de campanhas no Dia Mundial de Combate ao Câncer

P_20160408_184932.jpg

O Parlamentar esteve falando com nossa reportagem nesta sexta-feira (08), falando sobre a importância de celebrar o Dia Mundial de Combate ao Câncer.

Antonio Vicente (DEM) falou da falta de campanhas referente à doença, “Estamos vendo constantemente noticias referente ao câncer que é a segunda maior causa de mortes em todo mundo. Quero aproveitar essa oportunidade e falar da importância em conscientizar a população Taperoaense para se prevenir dela”, disse o parlamentar.

“Os casos de câncer em Taperoá era raro em outros tempos, hoje estamos vendo constantemente pessoas com essa doença, temos que alertar a população e intensificar as campanhas o mais rápido possível”, disse Antonio Vicente.

O vereador falou ainda que vai solicitar na Câmara Municipal de Taperoá, para que o secretário municipal de Saúde realize campanhas permanentes, junto com instituições específicas no combate ao câncer, como o Hospital Geral de Taperoá que pode ser uma grande aliada nessa divulgação. “Quero dizer ainda que o Dia Mundial de Combate ao Câncer (8 de abril) é uma data de oportunidade para divulgar e alertar a população de Taperoá e do mundo”.

o câncer é a segunda causa de morte por doença, atrás apenas das doenças cardiovasculares. Na estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) para o biênio 2016/2017, o Brasil deve registrar 596 mil casos de câncer. Mundialmente, a incidência do câncer cresceu 20% na última década.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), obesidade e sedentarismo juntos são responsáveis por 20% dos casos de câncer de mama, 50% dos carcinomas de endométrio, 25% dos tumores malignos do cólon e 37% de esôfago. O Ministério da Saúde completa que os dois fatores combinados formam a segunda maior causa de câncer que poderia ser prevenida, atrás apenas do tabagismo.

Entretanto, na contramão do avanço da doença, o índice de cura tem aumentado substancialmente. Há 50 anos, o índice de mortalidade era de 70%. Hoje, mais de 50% dos doentes conseguem se curar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top