All for Joomla All for Webmasters

Câmara Municipal de Taperoá realiza ultima sessão sob a presidência de Ailton

Câmara Municipal de Taperoá realiza ultima sessão sob a presidência de Ailton, IPTU e Orçamento foram os principais temas.

Nesta sexta feira dia 10 de dezembro aconteceu a ultima sessão legislativa do ano de 2010 na Câmara Municipal de Taperoá e também a última presidida por Dr. Ailton, já que a partir de 1° de janeiro assume a nova mesa diretora composta pelos vereadores Sandro Brito, Irandi Ferreira, Adriano Monteiro e Sileide Barreto. Na pauta da sessão apenas o orçamento para o ano de 2011 que foi aprovado pela unanimidade dos presentes.

Diferente do que tinha ocorrido na sessão do dia 26 de novembro, quando ocorreu a eleição para a presidência daquela casa, não houve nenhuma agitação, os vereadores teceram alguns comentários técnicos a respeito da peça orçamentária que define a destinação dos mais de R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais) previstos para o orçamento da prefeitura municipal de Taperoá. O mesmo projeto havia sido apresentado para votação no dia da eleição da câmara, porém a oposição se recusou a aprová-lo naquele momento, pois não tinham na ocasião recebido cópias do mesmo o que motivou o vereador Sandro Brito a perguntar à população que estava presente na casa de Corsino de Farias naquela noite: “vocês querem que nós votemos o orçamento da prefeitura se sequer ter tido a oportunidade de ler?”, no que os populares fizeram um sonoro coro dizendo “Não”.


IPTU

O principal tema da noite ficou por conta do enorme aumento no IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) de Taperoá, que pegou os cidadãos de surpresa, em alguns casos o aumento em relação a 2009 chegou a 1.500 %, o vereador Irandi Ferreira mais conhecido como Branco, disse que “essa foi a coisa mais absurda que já aconteceu em Taperoá, não posso concordar com isso, já que tem pessoas que vão pagar mais de R$ 500,00 (quinhentos reais) por ano e que é inaceitável.”

A Vereadora Maria Sileide Barreto também se mostrou indignada com o aumento, a seu ver abusivo do tributo municipal, e disse que se sente incomodada pelo fato de a população achar que esse aumento foi dado pelos vereadores, o que ela afirma que não é verdade, ressaltou que algumas pessoas que tiveram aumento abusivo no IPTU não tem nenhuma infraestrutura a sua disposição como esgoto e calçamento por exemplo o que torna mais absurdo ainda o aumento ao seu ver.

O vereador situacionista Antônio Melquíades saiu em defesa do executivo dizendo que “desde 2001 não havia nenhum aumento”, no que foi aparteado pelo vereador Sandro Brito que disse que acreditava que o aumento deveria ter sido gradativo e distribuído em pelo menos cinco anos, Sandro também lembrou que polêmico aumento se deve a aprovação do Novo Código Tributário Municipal, votado em janeiro de 2009 em uma sessão que contou com a presença apenas dos vereadores da situação sendo que nenhum dos cinco oposicionistas estava presente e, portanto não votaram, o petista disse ainda que a oposição já manejou um Mandado de Segurança pedindo a anulação da sessão onde foi votado, além do IPTU a criação do Instituto Municipal de Previdência de Taperoá, que de acordo com ele é “um verdadeiro câncer para a cidade”.

TRANSIÇÃO

Ao fim da sessão o vereador Sandro Brito solicitou de Ailton que fosse marcada uma data para uma reunião entre as equipes de transição que ficou marcada para o dia 27 dezembro, na ocasião deverão ser repassados os dados necessários aos futuros gestores do legislativo mirim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top