All for Joomla All for Webmasters

São José

Agricultores paraibanos mantêm tradição e acreditam em chuvas de São José.
Para o homem do campo, o Dia de São José (19 de março) se reveste de grande importância. Reza a tradição que se chover na data, o ano será de bom inverno e de abundância. Porém, se as chuvas não se manifestarem até esta data, consideram-se perdidas as esperanças em relação às colheitas. Agricultores paraibanos mantêm tradição e acreditam em chuvas de São José.
Para o homem do campo, o Dia de São José (19 de março) se reveste de grande importância. Reza a tradição que se chover na data, o ano será de bom inverno e de abundância. Porém, se as chuvas não se manifestarem até esta data, consideram-se perdidas as esperanças em relação às colheitas.

Os agricultores com certeza passarão o dia desta segunda-feira com os olhos voltados para o céu à espera de chuva. O gesto é repetido todos os anos no dia 19 de março, dedicado a São José. Conforme a tradição, caso as chuvas aconteçam, o inverno será satisfatório.

Agarrados à crença, os agricultores renovam a fé através de procissões e rezas para que o santo mande a esperada chuva neste dia, que eles ‘batizam’ de sagrado. O aposentado Amaro Albuquerque, 81 anos, morador do distrito de São José da Mata, em Campina Grande, é um dos milhares de agricultores do Estado esperançosos nas chuvas desta segunda-feira. Ele, que tem uma pequena plantação no Sítio Covão, município de Lagoa Seca, no Brejo paraibano, garante nunca ter errado nas previsões.

Na zona rural de Puxinanã, os barreiros ainda guardam um pouco d’água acumulada com as últimas chuvas ocorridas no mês de fevereiro e os primeiros dias de março deste ano. No entanto, os agricultores esperam que, a partir desta semana, os volumes dos pequenos reservatórios da região atinjam suas cotas máximas. Adriano da Silva, 23 anos, morador do Sítio Antas, em Puxinanã, já preparou o solo para o plantio de sementes a partir de amanhã, quando ele acredita que São José não vai falhar com os agricultores.

Quem plantar milho no Dia de São José, garantem os mais experientes, vai colher no mês de junho, durante as festas de São João e São Pedro, quando o produto não pode faltar na mesa das famílias, principalmente as nordestinas. Em muitas comunidades da zona rural de Puxinanã e Lagoa Seca, os agricultores estão preparando um terço em homenagem ao santo, além da queima de uma fogueira, que será acesa às 18h da véspera do dia 19, como manda a tradição. “Tudo para o santo nos dar uma ajuda”, brinca o agricultor Adriano.

Data será comemorada com procissões

Missas, procissões, novenários, shows musicais, entre outras atividades, encerrarão nesta segunda-feira, em várias cidades do interior do Estado, a programação especial alusiva ao Dia de São José.

Em Juazeirinho, no Cariri, que tem São José como padroeiro da cidade, Igreja e Prefeitura se uniram para a realização de uma programação conjunta iniciada com o novenário e missas desde a última sexta-feira. A festa tem continuidade neste domingo com o tradicional casamento coletivo, envolvendo 15 casais. A programação profana da festa foi iniciada na noite de ontem, com apresentações de grupos musicais, bingos e pavilhões, em frente à igreja, no centro.

A programação em Juazeirinho será encerrada nesta segunda-feira, com a procissão pelas ruas da cidade, seguida de uma missa a ser celebrada pelo padre João Jorge Rietveld.

taperoa.com
JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top